07/05/10

A BOINA DOS FUZILEIROS

(ACTUALIZADO)


          A famosa Boina de Fuzileiro "azul ferrete" a que apenas tinham direito os Oficiais do Quadro Permanente ou Oficiais Fuzileiros da Reserva Naval, Sargentos e Praças com o curso de Fuzileiros Especiais, obtido na Escola de Fuzileiros desde de 1961, remonta ao tempo da chegada, após formação no Reino Unido, dos 4 primeiros instrutores (um 2º Tenente da classe de Marinha e três Marinheiros da classe Monitores de Educação Física a Portugal.


Os 4 primeiros Fuzileiros com a Boina Verde dos "Royal Marines Comandos" (Foto original cedida por Cte. Pascoal Rodrigues)


Boina e distintivo dos "Royal Marines Comandos" do SAJ FZE Mário Claudino, cedido pela sua esposa à Sala-Museu do Fuzileiro

          Optou-se por adoptar a partir de Janeiro de 1961, uma boina de cor "azul ferrete" com a âncora da Armada, em virtude de que as Tropas Pára-quedistas já utilizar a Boina Verde desde 9 de Julho de 1955, determinado por despacho do então Ministro da Defesa Nacional (legalizada a 1 de Janeiro de 1956), cor esta também usada pelos "Royal Marines Comandos" como símbolo de Forças de Élite.


Boina de Fuzileiro Especial

          A Boina assume para o Fuzileiro um significado de orgulho, honra e prestígio na Força Militar em que presta ou já prestou serviço activo, as duas fitas pretas da Boina, significam entrada e saída do quartel, ou seja o Bom dia e a Boa tarde, assim como o luto e respeito pelos camaradas mortos da unidade.
          Na sequência da Revolução do 25 de Abril de 1974, a boina deixou de ser da exclusividade dos Fuzileiros Especiais, sendo extensiva a todos os militares do Corpo de Fuzileiros, com o intuito de eliminar uma indesejável diferenciação entre «Fuzileiros Especiais» e «Fuzileiros Navais» que contribuia para a quebra de coesão na unidade.


Actual Boina de Fuzileiro

          O "ganhar a Boina" por parte dos instruendos do Batalhão de Instrução da Escola de Fuzileiros, é desde 1961 o culminar do respectivo Curso Básico de Fuzileiro, actualmente com 15 módulos e a duração de 9 meses.
          É também o reconhecimento da aptidão do militar por parte da instituição que ministra o curso e restantes camaradas d'armas, assim como funciona como factor de união, conjuntamente com o Hino dos Fuzileiros e a Sala-Museu do Fuzileiro, entre as diversas gerações de Fuzileiros.


O garbo do desfile de um Pelotão de elementos da Associação de Fuzileiros, sob o comando do SMOR FZE José Talhadas, precedidos do SMOR FZE José Coisinhas na qualidade de Porta-Estandarte da entidade (Foto cedida por SAJ Afonso Brandão / FZE e Mergulhador-Sapador)

          De salientar que a partir de Fevereiro de 1986, o distintivo foi substituído pelo modelo actualmente em vigor, observando o disposto no Despacho CEMA n.º 10/86 de 4 de Fevereiro, sendo que o 1SARG FZC João Manuel da Fonseca colaborou a convite do então Comandante da CF n.º 21 do BF n.º 2, na qualidade de artista plástico, na co-autoria do desenho.


Desenho do projecto do actual distintivo, da co-autoria do 1SARG FZC João Manuel da Fonseca (Imagem cedida pelo artista em apreço)


Actual Distintivo de Fuzileiro em vigor
 

Poema de Mário Manso dedicado a Boina dos Fuzileiros

Artigos do Tcor Miguel Machado:
- Jornal Exército / Junho 2003;
- Revista Boina Verde n.º 155 de Dezembro de 1990

55 comentários:

  1. Julgo que já é tempo de o caro amigo «ganhar uma Boina» - leia-se reconhecimento!, pelo modo como promove assuntos do Mar, da Marinha e excelentes artigos que escreve sobre das suas unidades navais e terrestres.

    M.O.
    Oficial da Marinha na Reforma com o curso de FZE

    ResponderEliminar
  2. Ola gostava que me informassem porque é que a boina de fuzileiro deixou de ser preta com ancora e passou a ser azul ferrete com outro distintivo obrigado.

    Manuel Nunes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O boina nunca foi preta

      Eliminar
    2. A cor da boina nunca foi preta. As boinas que haviam em preto foi por erro na produçao. O azul ferrete é a cor do mar em noites de tempestade. Por isso nao ser uma simples azul escuro como a boina do C. I.

      Eliminar
  3. O 25 d abril fez imensas coisas:

    Uma ponte num dia e o curso de Fuzileiro especial sem o salto desconhecido.

    ResponderEliminar
  4. É só uma pequena correcção o distintivo atoal da Boina entrou em vigor em 1986 e não 1984,
    e ao camarada Manuel Nunes a boina de Fuzileiro
    nunca foi preta embora algumas pessoas confundem o azul ferrete com preto.
    Um abraço de um FUZO.

    ResponderEliminar
  5. Silva (morteirinho)de Vila do Conde, BF1 CF11 (Policia Naval)escola de Janeiro de 1986. É verdade foi a partir de Janeiro de 1986 que que a cor e o novo simblo foi alterado. Um abraço a todos os Fuzileiros e em especial aos da escola de Janeiro de 1986 com eterna saudade. Um sempre FUZO Domingos Silva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onde tens andado morteirinho? Eu sou o outro silva de Favaios do Bf1 CF 11. Um grande abraço.

      Eliminar
  6. é verdade a boina hoje possivelmente ja nao tem o mesmo valor.porque antigamente sofria-se muito para ter direito a ela,um fuzileiro especial era preparado para matar e morrer,por isso ganhava mais 120escudos por mes, é verdade 120escudos, nao era muito mas fazia a diferença, um segundo grumete, ganhava 120 se fosse especial ganhava 240 em 18 meses que era o que tnha que andar para chegar a 1 grumete fazia a diferença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite sou filho da escola de 1983 e nao concordo em absluto com este comentário de que a nossa boina nao tenho o mesmo valor somente por diferensa de idade porque a nivel de treino tanto fisico como mental não hesiste tanta diferença mais creio que depois do 25 de abril de 1974 os treinos se tornaram mais duros ainda porque os instructores tinham vindo do ultramar e queriam mostrar o que haviam vivio em su própria carne e por isso creio que seja qual seja o ano de incorporação ai que ter muitorespeito a esta boina...que de passo nunca foi negra. RESPEITO É BONITO E EU GOSTO.......

      Eliminar
  7. Caro anónimo sou da 1ª escola de 2006, 4ªCPA Bravo de 2006 e também tive de sofrer muito como todos os meus camaradas para ganhar a boina, não posso concordar quando diz que hoje não tem o mesmo valor pois eu sofri, sangrei e chorei com os meus camaradas! é certo que os tempos podem ser outros e antigamente concerteza que não teriam as condições que se tem agora, mas os tempos evoluem e se o curso fosse dado hoje como foi dado ha 20 anos atrás pode ter a certeza que os fuzileiros neste momento não serviriam para nada pois estariam completamente desactualizados em relação ao que é preciso de um militar nos tempos de hoje! a dureza continua a existir e muito no curso de fuzileiros caso contrario ja não seria ha muito tempo designada como a unica tropa de elite de Portugal! um grande abraço a todos os fuzileiros de Portugal ainda activos ou não pois FUZILEIRO UMA VEZ, FUZILEIRO PARA SEMPRE!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou testemunha!!! Grande abraço a todos!!! Seja qual for a geração!!! PRONTOS!!!!

      Eliminar
    2. Concordo com tudo o que escreveu excepto num ponto, não são com toda a certeza a única tropa de elite em Portugal. Isso chamá-lo egocentrismo. Abraço e Que nunca por vencidos se conheçam.

      Eliminar
  8. Sou de 1991/92 e digo o mesmo que o Rocha.
    O sofrimento é maior conforme quem o sofre, no meu caso foi maior porque fui eu a sofrer, no vosso caso foram vocês....

    ResponderEliminar
  9. E o q podem dizer os especialistas sobre a fita da boina e os nós q esta pode ter?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A fita serve para a apertar ou alargar e os nós para fixar essa acção.

      Eliminar
  10. Eu sou de 79 e para mim não há especiais, especial é a força militar que todos se orgulham em representar ou terem representado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem. Desde 1974 até aos dias de hoje somos todos Fuzileiros especiais. A exigência sempre foi a mesma. Dias - 753179

      Eliminar
    2. Olá dias eu sou o 728479. O Cientista.

      Eliminar
  11. caros camaradas eu sou de 80, BF3, CF33, e para mim não ha especiais, todos sofrem para ganhar a boina, se fosse facil todos a ganhavam o que nao é o caso. especial é realmente esta tropa de elite. um abraço para todos os camaradas fzs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aqui encontro um filho da escola de 80,também o sou, 1ª de 80, Abril . Só queria acrescentar uma coisa,o curso nesse tempo,era muito mais puxado que o actual,sei do que falo,mas somos todos filhas da escola,e isso é que importa.Viva a melhor força especial que somos nós,e por muito que tenhamos sofrido,de novo o iria-mos fazer.
      E como se disse atrás .FUZILEIRO UMA VEZ FUZILEIRO PARA SEMPRE

      Eliminar
  12. Boa tarde.

    Saudações a todos os FUZILEIROS.

    A Boina.

    Estou completamente de acordo com alguns dos comentários.E em completo desacordo com outros.

    Todos os que tiveram direito há " BOINA ", sabem do que falo.

    A "BOINA", era o orgulho dos " FUZILEIROS ESPECIAIS" - quando iam directamente para essa classe da Marinha.

    Sou do 18º. curso de Fuzileiros Especiais,duas Comissões na Guiné de 1967 / 1971 - DFE3 e 12 - Tive o prazer de ter pertencido, ao DFE, que fez o maior " RONCO ", alguma vez feito no teatro de Operações da Guerra Colonial.

    A Escola de Fuzileiros, foi a minha segunda casa.

    Hoje por força das circunstâncias toda a gente usa uma " BOINA ".

    Quero expressar a minha admiração por todos aqueles, que foram "FUZILEIROS ESPECIAIS", e que passaram pelos DFE`s.

    Lembrar que só quatro mil e poucos, tiveram á época a honra de usar esse símbolo.

    Veiga

    ResponderEliminar
  13. So para atualizaralguns comentários que tenho observado atentamente,eu sou fuzileiro de 91, sou com o maior orgulho que alguem pode ter,para mim so existe uma maneira de ser especial, é ser fuzileiro, agora caros amigos " Anónimos ", 81, 91, 2001, etc, so serve de comentário a época para quem realmente não sabe o q é ser fuzileiro, para os mais antigos, o meu orgulho pelo que fizeram e foram, mas, desculpem, um verdadeiro fuzileiro, não precisa de reinvidicar o ano para se sentir mais especial...abraço a todos...FUZILEIRO UMA VEZ, FUZILEIRO PARA SEMPRE...

    Carlos Fernandes FZ
    8NOV2011

    ResponderEliminar
  14. Concordo com o Carlos! Os anónimos não exite nos fuzileiros! Sou FUZILEIRO DE 95 E TENHO ORGULHO EM DIZER JOSÉ PINA FUZILEIRO!!!
    FUZILEIRO UMA VEZ...FUZILEIRO PARA SEMPRE,PORQUE QUERER É PODER,FUZILEIRO...ATÉ MORRER!!!

    ResponderEliminar
  15. Boa noite - Pessoal

    Ser FUZILEIRO hoje é simples.

    Todos tem direito a uma boina!...

    Que pena porque não usam hoje o panamá?...

    Ficava - lhe muito bem!...

    Nos FUZILEIROS, concordo não existem anónimos.

    Mas os anónimos, aparecem sempre com o nome, e sempre estiveram presentes!...

    Amigos.
    Faço parte dos 4 049 FUZILEIROS ESPECIAIS.

    FUZILEIRO ESPECIAL UMA VEZ FUZILEIRO ESPECIAL PARA SEMPRE!...

    É muito bonito, são as imagens dos meus DESTACAMENTOS.

    Parece que os verdadeiros FUZILEIROS, só existiram a partir dos Anos 80!...

    Um abraço

    Jacaré

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sr jacaré tenho pena que pense assim...mas tem toda a razão quando diz Parece que os verdadeiros FUZILEIROS, só existiram a partir dos Anos 80!...pois foi em 85 que foi criada a DAE esses sim podem ser especiais não??Devia ser qq coisa de especial um DAE DE PANAMA!!!! Não sei em que escola andou mas eu andei em Vale de Zebro EM 97 sei que talvez seja marreta mas pensava que era tudo familia??Um FUZILEIRO não é FUZILEIRO do nada cada cursso é um cursso e todos nascemos para ser FUZLEIROS e o que me ensinaram não foi FUZILEIRO ESPECIAL UMA VEZ FUZILEIRO ESPECIAL PARA SEMPRE!...MAS SIM FUZILEIRO UMA VEZ FUZILEIRO PARA SEMPRE!!!Abraço a todos os FUZILEIROS

      Eliminar
  16. Eu sou um dos sobreviventes dum destacamento FZE que cumpri duas comissões na Guné Bissau e confesso que fico um pouco surprendido com algumas afirmações que por aqui se fazem.

    Primeiro o Fuzileiro Especial e o Fuzileiro Naval eram duas coisas bem destintas no meu tempo.

    Primeiro era-se fuzileiro naval após a o ITE, e era-se fuzileiro especial após o ITE e mais 6 meses de curso de FZE.
    Segundo, no ultramar os FZE iam para as operações de combate (no meu caso 156), os navais faziam escoltas aos batelões de carga,e faziam segurança nos quarteis.....veja-se outra diferença, no monumento da Escola de Fuzileiros reparem no numero de mortos de um grupo e do outro.

    Diz-se aqui que os verdadeiros Fuzileiros só a partir dos anos 80......vá lá meninos um pouco mais de respeito por todos aqueles que existiram antes dos anos 80.


    Para terminar....voces sabem lá qual eram as condições da Escola de Fuzileiros no meu tempo....sabem lá o que foi a guerra clonial na Guiné?

    De qualquer modo as minhas saudações a todos os Fuzileiros sem pieguices ou saudosismos e muito menos sem diferenciação de classe entre Navais e Especiais. Eramos todos carneiros do mesmo rebanho devidamente submisso e amestrado para servir em nome da pátria madrasta que era a nossa.

    PS: Sabiam por acaso que colegas que ficaram incapacitados devido a acções de combate ainda hoje recebem a fortuna de 120 euros por mês? Que alguns vivem da caridade?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei do que falas camarada..."só "fiz quatro comissões 2 Guiné 2 Angola e uma só, não foi em DFE. Fuzileiro sempre e abraço a todos ,os Fuzos de todas as gerações.

      Eliminar
  17. Os DFE ou um FZE nada tem a ver com um DAE...sem duvida existe a variante importante de os anteriores terem no curriculum o teatro de guerra do ultramar...mas hoje não se pode comparar como e óbvio, ate pelo nível de treino e de qualificações para os vários cursos dos DAE...como li acima e bem escrito por sinal...havia uma grande diferença entre um FN e um FZE antes dos anos 80 e principalmente antes de 74...tal como existe uma gigantesca diferença entre um FZN e um FZ DAE...mas por isso mesmo eles existiam e existem...não e especial quem quer...e especial quem consegue...alguém faz a menor ideia de qual o numero de efectivos dos DAE neste momento?...quanto a utilização de boinas antes e agora...havia a necessidade de se destingir um FZN de um FZE e essa era uma das maneiras encontradas para alem de algumas outras,essa era a mais óbvia...hoje em dia todos os FZ's tem boina...e dificilmente alguém de fora sabe o que significa o distintivo dos DAE...criou-se assim mais harmonia e menos diferenciação...embora nos saibamos que ela existe.
    Mas tirando essas "pequenas" diferenças...no final...todos somos irmaos e filhos da mesma escola...

    Oliveira "Coimbra" FZNP DAE 86

    Tão poucos que somos, e tão mau feitio temos.. ;)

    ResponderEliminar
  18. um fuzileiro não é fuzileiro por ter passado pela escola, porque passaram por lá milhares que nunca serão fuzileiros. só alguns com fibra e capacidade psicológica conseguiram colocar na cabeça essa boina que tanto orgulho nos dá. somos todos fuzileiros especiais, agora os sacrifícios são menos mas antigamente quantos eram aqueles que iam mal preparados para o ultramar e eram chamados de especiais.

    ResponderEliminar
  19. Qeria aqui deixar só uma pequena correção:
    O novo distintivo não entrou em vigor a 1 de Janeiro de 1986, mas sim posteriormente.
    Sendo eu um "Filho da Escola" de Setembro de 1985, e tendo ganho a "Boina" (e bem ganha nesse tempo com Sangue, Suor e Lágrimas) a 4 de Abril de 1986, essa "Boina" ainda me foi entregue com a famosa "Ancôra" . . .

    ResponderEliminar
  20. Fuzileiro não têm este tipo de discurso e de argumentação ...
    Gregório !

    ResponderEliminar
  21. Sou Fuzileiro Especial (de 1974) e para mim a verdadeira boina de Fuzileiro (e a única!)é aquela que tem apenas a âncora. Mesmo depois de terem acabado os "especiais" aquele símbolo deveria ter-se mantido.
    Sinto alguma pena por ver antigos Fuzileiros usarem em diversas alturas a boina com o atual "crachat".
    Muita mais pena me dá observar o uso do novo emblema apoiado num requebro da boina (à "americana" saloia!). Isto nunca foi uma tradição dos Fuzileiros. É uma modernidade que nada tem a haver com os nossos usos. Sempre usámos a boina enterrada na "tola" (perfeitamente direita!) e bem puxada, simplesmente, para a direita.
    Com o alterar dos simbolos e com a introdução de modas que são alheias à nossa identidade perde-se, a meu ver, a própria identificação, a tradição até mesmo o reconhecimento...
    Existem coisas em que não se deve tocar!
    Freitas (Sarg.FZE 5007/74)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda sobre diversas opiniões que entretanto fui lendo... Quer se queira ou não, Fuz. Especial é de facto uma designação à parte, única, e que, por princípio não mais voltará. Temos pena, mas apenas cerca de quatro mil é que sairam por aquele portão sagrado de Vale de Zebro. São únicos, são "FUZILEIROS ESPECIAIS".

      Não quero dizer com isto que todos os outros, os "navais" e aqueles que lhes seguiram até ao dia de hoje não sejam Fuzileiros, ou tenham menos espirito de corpo. No entanto nessa altura o ser "Especial" marcou para sempre quem o foi.

      Ser "Especial" era ir para a linha da frente "arranhar" a sério, era de facto um potencial bilhete para a eternidade e todos eles, pelo menos uma parte significativa, comprou-o de peito feito e sem a mais pequena dúvida. Integrados em destacamentos, faziam o seu próprio quartel, o buraco onde se dormia, quando isso era possível. Todos os outos eram integrados em "Companhias" e tinham a vida, por norma, mais simplificada. Ser "Especial" era ter a certeza de ver o inimigo de perto, cheirá-lo, ver a sua arma, tão mortal como a nossa.

      Os Fuzileiros Especiais eram treinados para uma batalha real que então se travava em África, com emboscadas e golpes de mão. Nesse tempo não se brincava ás guerras, ensinava-se que uma pequena distração ou discuido podia ser a nossa própria morte. Não estavamos treinados para qualquer eventualiade que pudesse acontecer, um dia! Estavamos realmente bem treinados para uma guerra em curso e para onde sabiamos que todos iriam parar, voluntáriamente !

      Hoje em dia somos todos Fuzileiros, assim seja. Mas permitam que aqueles que foram FZE se identifiquem como tal, eles merecem.

      Até ao dia da minha morte serei sempre Fuzileiro Especial, usarei a minha boina azul muito escura com a âncora e ao peito o crachá de Especial, quando me fecharem no "sobretudo de 4 tábuas" levarei-os comigo num bolso e se lá em cima a "ordem do dia" me deixar voltarei a usá-los com orgulho.

      Uns são, os outros gostavam de ter sido...

      João Freitas (Sarg. FZE 5007/74)

      Eliminar
    2. Caro Camarada e Filho da Escola... Sou um Fuzileiro, actualmente na PSP, muito marreta em relação a si, sou de 2008. Mas quero no entanto dizer lhe que concordo em absoluto com as suas palavras... Tenho o maior respeito e admiração pelo que passou e espero que se vanglorie sempre disso, porque o merece. Digo o mesmo a todos os FZE que aqui escrevem...
      No vosso tempo a guerra era uma realidade, acho que isso diz tudo.
      Um forte abraço deste Filho da Escola.
      Duarte Ferreira FZ9838308

      Eliminar
    3. Companheiro tenho o maior respeito por todos os Veteranos de guerra FZE mas deixa que te diga não fomos especiais porque nascemos noutra época ,quanto a ser fz conheço muitos que um panama ficava muito bem na cabeça deles .. Bem como o simbolo da boina porquê acabaram com o simbolo da ancora e puserem este com o qual eu nunca concordei...enfim opiniões,Saudações todos os Marujos ...

      Eliminar
  22. Tão poucos que somos e tão mau feitio temos! E verdade, e por incrível que pareça a cabeça continua a ser mais importante que o músculo! Sempre foi assim e espero que assim continue. A boina e um símbolo e deverá se-lo sempre, assim como FZE, FZN, FZ. Nos dias de hoje as coisas são diferentes e para melhor felizmente, DAE e um mundo a parte, mas em parte se deve aos FZEs que com a sua panca

    ResponderEliminar
  23. Qual é a diferença entre um Fuzileiro e Técnico Superior Naval, relativo a operacoes especiais? Muito Obrigado, este blog esta' demais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora é fácil ser Fuzileiro todos tem direito a receber a boina azul ferrete, nos anos 60 e 70 era dura tirar o curso de FZE não era para todos era só para os melhores e eram esses que tinham direito a usar a dita boina. Em minha opinião nos tempos de hoje os homens do DAE é que deveriam usar a boina esses sim.

      Eliminar
  24. Em toda a minha vida de Fuzileiro nunca li tanta estupidez seguida. Tenham respeito por favor, pertencemos aos Fuzileiros, não somos uns quaisquer. A imagem que acabam de passar nestes comentários faz envergonhar um magala. Nao me revejo nestes comentários e estou certo que 99.9% dos meus irmãos Fuzileiros também não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rojas. Até me vieram as lágrimas aos olhos com o que escreveu. Muito bem. Obrigado.

      Eliminar
    2. Parabéns Sr. Rojas pelas sábias palavras!Demonstra ser um verdadeiro filho da Escola, estou totalmente de acordo consigo, comentários pouco dignos para um Fuzileiro! Miranda 736785

      Eliminar
    3. Até que enfim, alguém com bom senso!
      "A minha é maior que a tua ..." somos Todos Fuzileiros !
      Alguns esqueceram o que aprenderam em "casa" .
      Braz FZ Jan/85

      Eliminar
    4. É só heróis anonimos

      Eliminar
    5. Muito bem Rojas. Somos todos Fuzileiros. Depois de 1974 não havia distinção. Aliás quando eu comecei em 1979 os instrutores diziam que o treino era o mesmo que davam na altura da guerra colonial, até porque podíamos ser chamados ainda para um qualquer teatro de guerra. Dias 753179

      Eliminar
  25. Sr. Rojas. Concordo em absoluto com o que escreveu! Nunca na vida tinha lido ou ouvido sequer algo tão pouco digno de um verdadeiro filho da Escola! Miranda 736785

    ResponderEliminar
  26. isto é como quem já comentou aqui que o curso de fuzileiros especiais tinha acabado em 74 não pode ser porque eu sou de 74 com o nº938/74 Cepeda e o meu curso foi o 33º curso de especiais e ainda fui no destacamento de fuzileiros especiais nº1 a Angola, de qualquer maneira deixo aqui um grande abraço a todos os FUZILEIROS.

    ResponderEliminar
  27. Não percebo muitas das explicações que aqui se dão sobre especial ou não especial, convivi antes de o ser com elementos que foram FZE alguns condecorados,conhecidos, era um puto para eles, passei pela escola, fui FZ e sempre tratado com tal, mesmo sendo Fuzileiro Naval sem ser especial, tais discussões nunca se deveriam dar mas enfim, FZ com ou sem E, UMA VEZ FUZILEIRO, FUZILEIRO PARA SEMPRE.

    ResponderEliminar
  28. Joaquim Barros fz-n 1880-7618 de outubro de 2016 às 23:06

    Sou um F Z 1880-76 ,tenho imensa vaidade em ser fuzileiro.No meu tempo lembro-me que só cerca de metade dos que iniciaram o curso o terminaram. Convivi com muitos fze muitos com 2 comissões de serviço no ultramar verdadeiros camaradas que nunca usaram do facto para tentar superiorizarem-se,daí que alguns comentários sejam agora totalmente despropositados.No entanto concordo que quem teve mais instrução e mais dura mereçam o devido reconhecimento ,mas que isso não sirva de pretexto para dividir a camaradagem entre os filhos da escola .

    ResponderEliminar
  29. De todos estes comentários agradeço a Deus ter conseguido chegar ao fim para poder ver o comentário de um verdadeiro FUZILEIRO obrigado Sr Rojas

    ResponderEliminar
  30. Bem se vejo por aqui algum "vivaço" a insultar-se ou com a guerrinha de NAVAL e ESPECIAL; reservo-lhe uma pista de lõdo ás três da "matina", no mês de Dezembro...até os "tintins" se encolhem. ___Fui, instrui. Sou para sempre, Fuzileiro com quatro vezes a "treinar " na Guiné e em Angola. Abração a todos Usados ou menos usados nas "lides" de FUZILEIRO:

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um muito obrigado por essas palavras..fui da Marinha ..nao Fuzileiro e ser da Marinha já é ser Especial..1533/69

      Eliminar
  31. Desde já, uma saudação muito especial a TODOS os Filhos da Escola. Estive serenamente a ler a panóplia de comentários aqui expressos e alguns (com o devido respeito) vão no sentido da separação e não da união... lamentável!!! Ainda tenho familiares directos que estiveram na guerra colonial e sem margem para dúvidas os tempos foram de extrema dificuldade e o sacrificio era vivenciado ao segundo... ao minuto... à hora e devemos honrar e respeitar todos aqueles que se sacrificaram nessa época. No entanto, o tempo, as gerações, os Homens vão adquirindo outras realidades e ajustamentos e também devemos respeitar isso!!! Com certeza que TODOS concordam que é muitissimo bom não estarmops em guerra e se os militares existem... é porque são importantes e sem margem para dúvidas fazem parte integrante da sociedade, são o garante da segurança, da ajuda e do apoio a toda a sociedade civil sempre que necessário ou sempre que para isso são chamados. Por esta altura devem-se estar a interrogar de que escola será este "gajo"??? provavelmente um maçarico... efectivamente não sou muito antigo, mas já se passaram uns bons anos desde que saí desta Força, deste ramo militar que são os GRANDES FUZILEIROS e pessoalmente senti e sinto um exacerbado orgulho nisso!!! Actualmente, estou na PSP como civil, mas fui operacional nesta força durante nove anos passando pelo CI e ostentando sempre o nosso símbolo (de Fuzileiro) na farda e conheci/conheço muitos Filhos da Escola de anos muito diferenciados. Como todos nós sabemos há Homens e Homens e o ser humano não é perfeito mas este valor está enraizado em nós e cada qual com o seu feitio, sua maneira de ser mas unidos e com histórias verídicas para contar!!! O nosso Lema é: Fuzileiros uma vez, Fuzileiros para sempre e "UNIDOS" quem esquecer isto... deixa de fazer parte... fica só... fica perdido... e rumina em pensamentos e divagações que o canalizarão a um beco sem saída... Ninguém é culpado de ter ido à guerra, de ter tido "X" anos ou meses de serviço militar etc. somos FUZILEIROS e temos de ter capacidade de adaptação e acima de tudo de ser unidos e coesos para dignificar a nossa boina, o nosso estatuto e falarmos a uma só voz!!! Pois muito bem, sem qualquer veleidade, sou mais um humilde Filho da Escola de 13/05/1987 "FZ 734687"

    ResponderEliminar
  32. Cont. 1987 foi o culminar de uma fase no Corpo de Fuzileiros, mas obviamente que não irei desenvolver essa temática e independentemente disso e de todo o resto... devemos puxar a corda e fazer força no mesmo sentido e não criar clivagens entre gerações. Como referi, conheci/conheço imensos Fuzileiros de anos extremamente diferenciados e praticamente são todos excelentes Camaradas pois as diferenças só estão na maneira de ser de cada um e na empatia gerada entre formas de estar na vida. No próximo ano a Escola de 1987 fará 30 anos e temos um Grupo "Fantástico" de Filhos da Escola e para quem goste e possa... fica o convite para comparecer no dia do Fuzileiro em Vale de Zebro!!! Não se esqueçam... somos um outro ramo da família, mas somos e devemos ser "UNOS"!!! As melhores saudações e um forte abraço FZ a TODOS sem excepções e gritemos juntos o grito do Fuzileiro!!! e o que é que somos??? Fortes!!! Unidos!!! Zelosos!!! Orgulhosos!!! e Simples!!! FUZOS!!! Um bem haja Camaradas de armas!!!

    ResponderEliminar
  33. OLA SOU O RAQUEL 732683 E PEÇO A TODOS OS EX E ACTUAIS FUZILEIROS QUE NÃO ENTREM NESTE TIPO DE COMENTÁRIOS POIS ISTO BEM ESPREMIDO NÃO DA NADA. UM ABRAÇO PARA TODOS.

    ResponderEliminar

Grato pelo seu comentário, prontamente estará visível!